terça-feira, 14 de novembro de 2017

COMO SURGIU A PALAVRA CATÓLICA

O adjetivo católica é anterior ao nascimento da Igreja. Em grego, katholikos (καθολικός) quer dizer aquilo que é conforme o todo. Hoje em dia, a palavra equivalente seria holística. De uma forma geral, a tradução para a palavra católica é universal, contudo, o sentido dela é muito mais amplo.

O primeiro documento histórico que contém o adjetivo católica referindo-se à Igreja é uma carta de Santo Inácio de Antioquia à Igreja de Esmirna, escrita após a sua prisão, que o levou ao martírio em Roma:

    "Segui ao Bispo, vós todos, como Jesus Cristo ao Pai. Segui ao presbítero como aos Apóstolos. Respeitai os diáconos como ao preceito de Deus. Ninguém ouse fazer sem o Bispo coisa alguma concernente à Igreja. Como válida só se tenha a Eucaristia celebrada sob a presidência do bispo ou de um delegado seu. A comunidade se reúne onde estiver o Bispo e onde está Jesus Cristo está a Igreja Católica. Sem a união do Bispo não é lícito Batizar nem celebrar a Eucaristia; só o que tiver a sua aprovação será do agrado de Deus e assim será firme e seguro o que fizerdes."

Onde está Jesus Cristo está a Igreja Católica, segundo Santo Inácio. Mas, essa palavra era usada também em outro sentido, por exemplo, São Justino quando escreveu o Diálogo a Trifão, usou a mesma palavra para referir-se à ressurreição geral, de todas as pessoas. O termo se aplicava também à universalidade do número das pessoas, numa imagem da Igreja que acolhe a todos em seu seio.

A partir do século IV, com o surgimento de várias heresias, um outro sentido foi dado à palavra católica. São Cirilo de Jerusalém para comparar a fé ortodoxa com a fé herética, usa o termo fé católica. Ou seja, a verdadeira fé aceita a totalidade das verdades reveladas, enquanto que a fé herética escolhe aquilo em que quer acreditar, selecionando o que mais lhe convém e rejeitando os demais conteúdos da fé.

Desta forma, a palavra católica passou a designar não somente a Igreja que inclui todas as pessoas em todos os lugares, mas também a Igreja que inclui toda a fé, todos os sacramentos, todo o depósito e tesouro que foi deixado por Jesus Cristo e os Apóstolos. Com isso, a palavra foi sendo incorporada ao Credo como forma de distinguir a Igreja que guardava a fé inteira das seitas heréticas que estavam nascendo e que desprezavam o todo da fé.

Também houve o acréscimo da palavra romana ao adjetivo católica. Parece uma contradição dizer que a Igreja é católica e, ao mesmo tempo, romana. Contudo, não o é. Diante do protestantismo, o objetivo foi salientar que a Igreja somente é inteira, ou seja, católica, se o sucessor de Pedro, o Papa estiver incluído nela.

Assim, a integridade da fé abrange também o fato de que, seja no ocidente, seja no oriente, existe uma ligação com aquele que tem o primado e a jurisdição universal sobre a Igreja.

Só há uma Igreja de Cristo e essa Igreja é una, católica e apostólica. Faz parte da natureza da Igreja ser católica. Sendo assim, não se pode aceitar o significado confessional da palavra católico, pois ela não designa um ramo dos cristianismo. A fé cristã é católica por definição e não há outro verdadeiro cristianismo que não o católico. Por isso, como nas colunatas de Bernini na Praça de São Pedro, a Igreja abraça a fé na sua integridade e acolhe como mãe os católicos do mundo todo que vão em peregrinação até
aquela praça, ver o Sucessor de Pedro

fonte:https://padrepauloricardo.org/episodios/desde-quando-a-igreja-comecou-a-usar-o-nome-de-catolica
++++++++===================++++++++++=========================++++++

Como nasceu a Religião Católica

A Religião Católica nasceu no dia de Pentecostes, isto é, cinquenta dias após a ressurreição de Jesus e uma semana após sua Ascenção ao céu. Com efeito, logo depois destes acontecimentos, o quinto livro do Novo Testamento intitulado “Atos dos Apóstolos”, escrito por São Lucas, narra a vida e as ações dos primeiros cristãos em Jerusalém e em cidades do Oriente Médio. Essas ações narradas por São Lucas já são próprias daquilo que conhecemos hoje como “Religião Católica”. Portanto, a Religião Católica data do primeiro Século da era cristã.
A palavra “Católica” vem do grego e quer dizer “Universal”. E essa universalidade da Igreja Católica aparece desde o dia de Pentecostes. De fato, São Lucas narra que, após a vinda do Espírito Santo, pessoas de várias nacionalidades reunidas em Jerusalém ouviram os Apóstolos pregarem a novidade de Jesus de Nazaré em sua própria língua. Este é o sentido da “catolicidade” ou “universalidade” da Igreja: a mensagem de Jesus Cristo é para todos, de todos os lugares do mundo, de todas as nações, de todas as línguas.
O rito mais importante existente na Religião Católica é a Celebração Eucarística, ou a Santa Missa. São Lucas já faz referência a este ritual vivenciado pelos primeiros cristãos desde o primeiro Século, quando fala do “Partir do Pão”. Esse é o nome dado à Celebração Eucarística pelos primeiros cristãos. (Atos 2, 46) Na verdade, foi o próprio Jesus Cristo quem criou a Celebração Eucarística na quinta feira santa, na sua “Última Ceia” com os apóstolos. O que os Apóstolos fizeram depois disso foi apenas obedecer à ordem de Jesus que disse: “Fazei isto (“isto” quer dizer o partir do pão) em minha memória”. (Lucas 22, 19) São Paulo também menciona o “Partir do Pão” como referência à celebração Eucarística em 1Cor 11, 24-25.
Foram encontradas referências claras à Oração Eucarística número 1 no primeiro Século, nas catacumbas de Roma. Esta Oração Eucarística 1 atravessou dois mil anos de história e é usada até hoje nas missas da Igreja Católica em todo o mundo. Isso mostra a força das raízes da Religião Católica. São dois mil anos de Tradição. E “Tradição” com “T” maiúsculo, como este termo é usado na Igreja, para se referir àquela Tradição que é verdadeira, forte e profunda. E essa Tradição começou com o próprio Jesus Cristo.
No tempo em que São Lucas ainda era vivo, ou seja, no primeiro Século da Era Cristã, na cidade de Antioquia, os seguidores de Jesus foram chamados pela primeira vez de “cristãos”. Lucas achou o fato tão interessante que relatou-o em seu segundo livro. (Atos 11, 26) Mais tarde, Paulo usará bastante esse termo para se referir aos seguidores de Cristo. São Pedro também (1Pd 4, 16). Essas referências mostram que o termo “cristão” já era bem disseminado na segunda metade do primeiro século. Mostra também que a Religião Católica e os cristãos tinham a mesma identidade, pois os ritos e as orações que estes usavam, são os mesmos que a Religião Católica usa até hoje.
A Religião Católica foi duramente perseguida pelo Império Romano nos primeiros séculos de sua existência. Centenas, senão milhares de cristãos morreram torturados de todas as maneiras por se recusarem a adorar o imperador e não renegarem a fé em Jesus Cristo. O Sangue dos mártires foi o embrião da Religião Católica, a começar pelo seu fundador, Jesus Cristo, que morreu crucificado. A crucificação era uma pena aplicada pelo Império Romano.
Mas o Sangue dos mártires foi a grande semente da Religião Católica, pois os pagãos, ao verem a coragem com que os cristãos enfrentavam a morte por causa de Jesus Cristo, aderiam cada vez mais ao cristianismo. A esperança de vida eterna feliz na presença de Deus, de cura da alma, de perdão dos pecados e de amor ao próximo contagiava as pessoas onde a fé cristã chegava. Assim, a Religião Católica se espalhou e acabou por vencer o Império Romano.
No Século IV, sob o comando do Imperador Constantino, a Religião Católica passou de perseguida a religião oficial do Império Romano. Nesse tempo, a Igreja já tinha realizado vários concílios (reunião de todos os bispos e líderes da Igreja), já tinha enfrentado e vencido várias heresias (interpretações errôneas da fé) e tinha conquistado milhões de corações em lugares cada vez mais distantes e inimagináveis.
E assim nasceu a Religião Católica. Ela tem um começo marcado pela força da fé, da esperança e do amor, que são as três virtudes teologais que devem estar presentes na vida de todo cristão e de todo católico.
Depois deste começo maravilhoso e forte é que apareceram os “cismas” ou divisões que deram origem a outras igrejas e denominações. Só então é que o termo “cristão” ou “cristianismo” passou a ser usado para designar todos os cristãos das várias denominações surgidas, mesmo aqueles que não pertenciam à Religião Católica. A Igreja Católica, porém, permaneceu firme, una, santa, católica e apostólica e perdura até os dias de hoje, tornando-se a maior religião professada no mundo.
FONTE:http://www.blogcruzterrasanta.com.br/como-nasceu-a-religiao-catolica/ 

“A palavra ‘católico’ vem do grego kata (junto) e holos (todo), isto é: universal, que abrange tudo e reúne a todos”

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

ORAÇÕES




                                         Consagração dos Filhos a Nossa Senhora
 

Ó boa Mãe Três Vezes Admirável, que és a Mãe do Filho de Deus e que adotaste a nós como filhos, tu compreendestes muito bem quão sublime, grandiosa e bela é a missão que nos foi confiada como pais de família. Nas nossas mãos, Deus colocou o futuro da Igreja e da sociedade. A nós, deu o poder de colaborar com Ele na criação, na educação e na formação dos homens de amanhã. Cientes da nossa responsabilidade e conhecendo a realidade da vida, sentimo-nos incapazes de por nós próprios realizar a grande missão que nos foi confiada.
Por isso, Mãe, cheios de confiança, ajoelhamo-nos diante de Ti para te confiar e consagrar nossos filhos. Tu bem sabes a quantos perigos eles estão expostos e como o mundo e o demônio os perseguem querendo destruir neles a dignidade de filhos de Deus e lançá-los na lama do pecado!
Mãe, suplicamos-te humildemente: Vem em auxílio dos nossos filhos e revela neles a tua admirável arte de educar. Acolhe-os no teu bondoso coração. Assiste-os e ampara-os em todas as dificuldades, sobretudo nas horas de tentação.
Conserva-os puros e ensina-lhes a lutar sempre pelo bem. Estende-lhes tua mão e guia-os para Deus. Afasta-os das más companhias e livra-os de todo mal. Guarda neles a graça santificante que receberam no batismo e não permitais que venham a ofender a Deus pelo pecado grave. Querida Mãe, zela por nossos lares e por nossos filhos. Cuida que jamais nos falte o pão material e o alimento espiritual. Faz crescer em todos nós a fé, a esperança e a caridade. Suscita entre nós costumes cristãos de oração, prática de boas obras e espírito de sacrifício. Ajuda-nos a Ter sempre atitudes cristãs de caridade fraterna, perdão mútuo e solidariedade.
Sê tu a Mãe e a educadora de nossos filhos. Que eles vivam realmente como filhos de Deus. Encaminha-nos na vocação que o Pai celeste previu para eles desde a eternidade. Guia-os pela vida e acompanha-os na hora da morte. Ajuda-nos, Mãe, para que nós, pais, sejamos para nossos filhos verdadeiras imagens de Deus, a fim de que eles encontrem em nós todo o apoio, amor, segurança e compreensão de que necessitam.
Vem, fica conosco no nosso lar. Torna-o semelhante ao lar de Nazaré, onde reine sempre a paz, a união, a alegria e o amor.
Amém.




 “Nos dias de provação, reanima a tua confiança. Deus prometeu seu auxílio à perseverança na oração; e a perseverança não pode existir, senão quando Deus demora em conceder-nos as graças. Fala assim com Jesus: ‘Sim, meu Deus, a vossa demora em atender-me não me tira a esperança de que vireis em meu auxílio; e, quanto mais me sentir rejeitada, tanto mais me entregarei com ardor confiante nos vossos braços paternos’.” (Serva de Deus, Clélia Merloni)
  





Oração da Confiança 

Dai-me a paz de uma perfeita confiança em vós,
ó Deus de Amor!

Fé inabalável, que não duvida jamais
que o quê escolheis é o melhor para mim.

O melhor, ainda quando todos os meus planos são contrariados;
o melhor, ainda quando os recursos humanos são escassos;
em vós tenho o quanto me basta!

O melhor, ainda se minha saúde e minha força diminuírem,
mesmo se os dias forem tediosos
e faltar o muito que os outros possam ter;
seja feita não a minha, mas a vossa vontade, Senhor.

Se sobrevierem contrariedades,
também elas serão o melhor para mim,
para desapegar-me deste mundo mutável
e para aproximar-me melhor de Vós.

Dai-me a paz de uma perfeita confiança,
que me faça desinteressar de tudo, e ver vossa mão
em todos os acontecimentos pequenos e grandes!
Que ouça vossa voz, voz de Pai, que sabiamente me guia.

Dai-me a paz de uma perfeita confiança
e um coração que, em paz, repouse em Vós!

“Apóstola” em Oração


Perfect Trust

Oh, for the peace of a perfect trust,
My loving God, in Thee;
Unwavering faith, that never doubts
Thou choosest best for me!

Best, though my plans be all upset;
Best, though the way be rough;
Best, though my earthly store be scant;
In Thee I have enough.

Best, though my health and strenght be gone,
Though weary days be mine,
Shut out from much that others have;
Not my will, Lord, but Thine!

And even though disappointments come,
They, too, are best for me,
To wean me from this changing world
And lead me nearer Thee.

Oh, for the peace of a perfect trust
That looks away from all;
That sees Thy hand in everything,
In great events or small!

That hears Thy voice - a Father´s voice
Directing for the best,
Oh, for the peace of a perfect trust,
A heart with Thee at rest!

"Apostles" at Prayer

Concédeme la paz 

Concédeme la paz que nace de una perfecta confianza en Ti,
!Dios de amor!

Fe inquebrantable que nunca duda
que lo que Tú eliges es lo mejor para mí;

Lo mejor aun cuando todos mis planes se derrumban;
Lo mejor aun cuando mi vida se hace difícil;
Lo mejor aun cuando los recursos humanos son escasos:
!en Ti tengo cuanto necesito!

Lo mejor aunque mi salud y min fuerzas flaqueen,
aunque los días sean nublados
y me falte lo mucho que otros pueden tener:
hágase Tu voluntad, Señor, y no la mía.

Cuando lleguen las contrariedades,
también ellas serán lo mejor para mí,
para desapegarme de este mundo mutable
y para arraigarme más en Ti.

!Concédeme la paz de una perfecta confianza,
que ma haga desprender de todo, que me haga ver Tu mano
en todos los acontecimientos, pequeños y grandes!
Haz que escuche tu voz, tu voz de Padre, que sabiamente me guía.

!Concédeme la paz de una perfecta confianza
y un corazón que goce y descanse en Ti!

"Apostoles" en Oracion



Donami la pace

Donami la pace di una perfetta fiducia in Te,
o Dio d´amore!

Donami fede incrollabile, che non dubita mai
che quello che Tu scegli è il meglio per me;

Il meglio, anche quando tutti i miei piani sono sconvolti;
Il meglio, anche quando la mia vita diviene scabrosa;
Il meglio, anche  quando le risorse umane sono scarse: in Te ho quanto mi basta!

Il meglio, anche se la mia salute e le mie forze vengono meno,
anche se le giornate sono tediose
e mi manca il molto che gli altri possono avere:
sia fatta non la mia, ma la Tua voluntà, Signore.

Se verranno dei contrasti,
anche quelli saranno il meglio per me,
per distaccarmi  da questo mondo mutevole
e per avvincermi maggiormente a Te.

Donami la pace di una perfetta fiducia,
che mi faccia disinteressare di tutto, che me faccia vedere la Tua mano in tutti gli avvenimenti, piccoli e grandi!
Fa´ che senta la tua voce, voce di Padre, che saggiamente mi guida.

Donami la pace di una perfetta fiducia
e un cuore che goda e riposi in Te!

"Apostole" in Preghiera
enviado pela Irmã Zuleides  ASCJ





Prece Confiante
© Zuleides Andrade, ASCJ

Divino Mestre,
Venho a Ti, confiante, porque sei que bem compreendes
a minha condição humana e tens para comigo olhares de ternura.

Derramo em teus pés o precioso perfume da minha vida.
É o resultado do meu constante reflorescer e a síntese
dos incontáveis dons que do Pai recebi.

É meu voto de confiança na tua imensa misericórdia,
depois de observar, com admiração, tuas palavras e gestos.

É meu retorno a Ti, depois de tantas estradas percorridas
e até caminhos hostis e agrestes que me feriram,
em minha busca de felicidade, de harmonia e de paz.

Venho com lágrimas de alegria e gratidão, pois em Ti
encontrei todo o amor que a minha alma refaz.

Cheguei, Divino Mestre, confiante no teu abraço,
no teu perdão, no aconchego do Teu Coração!


© Prece de: Ir. Zuleides Andrade, ASCJ
Curitiba, 25 de abril de 2005  






Sacro Cuore di Gesù,  confido in Te.

* * * * *
Quando deparo com tantas idéias contrárias a tudo quanto ouvi, refleti, li e estudei, 
quero proclamar bem alto e de todo o coração: Eu creio em Ti, Senhor!




* * *  Creio em Ti, Senhor! * * * 

Creio em Ti, Jesus, Filho amado de Deus Pai e por nossa causa à terra enviado.
Creio em Ti, que nasceste em Belém, do seio puríssimo da Virgem Maria,
na mais completa pobreza.

Creio em Ti, que amaste santos e pecadores, necessitados no corpo ou no espírito.
Creio em Ti, que perdoaste homens e mulheres das culpas que carregavam
e os devolveste à vida.

Creio em Ti, que, com doze homens muito simples, iniciaste um reino de amor,
paz e fraternidade na terra.
Creio em Ti, que foste puro de corpo e de coração mais que os lírios do campo.

Creio em Ti, que viveste pobre, não tendo onde reclinar a própria cabeça.
Creio em Ti, que foste obediente aos planos de nossa salvação,
até a morte de cruz.

Creio em Ti, que ressuscitaste dos mortos, vencendo a morte para sempre!
E que apareceste aos Apóstolos, às santas mulheres e a tantos outros,
para confortá-los e animá-los na fé e na confiança.

Creio em Ti, que subiste ao céu para ser o nosso mais caro intercessor
e mediador junto ao Pai.
Creio em Ti, que cumpriste a promessa de nos enviar
o Santo Espírito Consolador e Dinamizador.

Creio em Ti, que habitas os sacrários do mundo, como pão da vida,
para alimentar nossa fé.
Creio em Ti, que sempre valorizas as nossas preces,
por mais simples que pareçam ser.

Creio em Ti, que fundaste tua Igreja sobre a rocha, que é Pedro,
a fim de que nada possa destruí-la.
Creio em Ti, que continuas amando-nos e perdoando,
apesar de nossas malquerenças!

Creio em Ti, que és amor e nos reservas um amor particular,
terno, eterno e misericordioso!
Enfim, creio em Ti, que estás presente na Palavra,
no Irmão, na Hóstia Santa e no meu Coração!

Ir. Maria de Lourdes Castanha, ascj
Curitiba, 22 / 05 / 06 
                  
Fonte: Boletim Triunfo do Coração de Jesus
Edição 46: abri-junho 2006




Oração da Entrega e Direção
"Senhor Deus, aqui estou na tua presença para pedir-lhe bênçãos neste dia para nossa vida.
Tem misericórdia Senhor e escuta as nossas orações em nome do teu filho amado, Jesus Cristo.
Dá-nos Senhor Deus, direção e sabedoria em nossos negócios.
Nós entregamos a Ti todas as nossas preocupações, transformando-as em louvores e glórias a Ti.
Fale conosco Senhor, através da Tua Palavra.
Fica conosco.
Vá na nossa frente, abrindo os caminhos
e iluminando os nossos passos, protegendo-nos das ciladas...
Tu és Senhor a fortaleza da minha vida.
Sustenta-nos Senhor Deus, com a Tua força.
Nós te glorificamos, nós te louvamos, nós te adoramos Senhor Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo.
Tu és Santo Senhor.
Amém".